Categoria: L01C04

Livro 01, Capítulo 04: Carta de término

Saudosa Letargia

“Às minhas olheiras, fiéis companheiras…” Trilha Sonora Letargia (s.f.) é a perda temporária ou completa da sensibilidade e do movimento por causa fisiológica ainda não identificada, levando o indivíduo a um estado mórbido em que as funções vitais estão atenuadas de tal forma que parece estarem suspensas, dando ao corpo a aparência de morte. PURGATÓRIO Sempre se inicia com um singelo ruído de fundo.… Read more →

Nosso filho nonato

Meu amor, sei que é zero a chance de você ler esta carta. Não faz mal, trata-se apenas de uma conversa comigo mesma. Você é meu leitor imaginário. Fantasiar que estou falando com você me ajuda a colocar em ordem os pensamentos. Quem sabe um dia, por simples curiosidade, você lance o meu nome (caso dele ainda se lembre) em… Read more →

A última carta

Existem coisas novas, coisas velhas e coisas antigas. Coisas novas perdem a graça e se tornam velhas. Coisas velhas se deterioram com o tempo e eventualmente desaparecem sem deixar traços de suas existências. Coisas antigas são um assunto a parte. Elas simplesmente são. Além do limite do tempo. Novas e velhas ao mesmo tempo. Aeternum. Vivas e mortas. E de… Read more →

Feliz Ano novo.

 ⁠A gente terminou E de repente Tudo o que eu toquei e que senti foi um consolo Por não ter você mais ali Na minha frente Eu consigo sentir o sabor da angústia misturado com o sabor do batom novo Eu consigo sentir o cheiro da esperança em nós morrendo Quando cuido dos meus cabelos As roupas que eu usei,… Read more →

Dó(r) Maior

Você pode ler ouvindo essa playlist: https://open.spotify.com/user/12159269163/playlist/1fVJaPhmKuLaftjVHQmZMv   12 de fevereiro Arte nunca foi meu forte. Claro, ouço músicas, vejo filmes, vou ao teatro (ás vezes), sou um adolescente afinal de contas, ou nem tanto. A questão é que considero que não sou capaz de produzir nenhum tipo de arte, entende? Mesmo assim, ali estava eu, a caminho da Escola… Read more →

Uma última despedida

  – Acorde. Augusto, acorde. – Uma voz andrógena e suave lhe chamava, tocando suavemente seu ombro. Preguiçosamente o homem abriu os olhos, que ainda estavam incomodados com a claridade. – Vamos, é a sua vez. – Minha vez de que? – a voz de Augusto soou meio rouca ao acabar de acordar. Bocejou, parecendo que havia dormido por eras.… Read more →

9º Primeiro Encontro

NONO ENCONTRO _Encontro virtual é a maior furada, Beatrice! – esbravejei, revirando os olhos. Ao meu redor, o ar calmo e ameno de Seattle adentrava pelo vidro e ultrapassava às persianas. Ao meu lado e batendo os pés freneticamente no assoalho, Beatrice, minha melhor-amiga-irritante-de-infância. _Não é virtual se eu o conheço, Emma. – foi a vez dela revirar os olhos.… Read more →